LDS temple

Como os sacrifícios de ir ao templo conduzem a verdades eternas

Uma família Tasmâniana aprende a importância do plano de salvação ao fazerem enormes sacrifícios para viajar ao templo.

O que você sacrifica para ir ao templo?

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias tem agora 146 templos em todo o mundo e quase 30 mais em construção. Por existirem tantos templos pelo momento, é possível que muitos mais membros da igreja atenderem o templo hoje do que no passado. Nem todos os membros da Igreja tem que sacrificar dramaticamente para atender o templo. No entanto, todos nós recebemos grandes bênçãos quando fazemos qualquer sacrifício para ir à Casa do Senhor.

A conta dos sacrifícios da família Bender, descrito no artigo de Elizabeth Maki “O mínimo que eu poderia fazer“, mostra-nos que o sacrifício de ir ao templo nos traz muitas bênçãos, inclusive um maior conhecimento das verdades eternas de Deus.

Em 1955, o anúncio do templo da Nova Zelândia trouxe alegria e animação para a família Bender, nativos da Tasmânia, uma pequena ilha australiana no sul da ilha principal. A família Bender estava muito dedicada em seu trabalho de história da família. Para eles, foi uma prioridade de atender o templo para serem selados como família e também fazerem o trabalho do templo por seus antepassados. Naquela época, eles ainda não tinham atendido o templo, por causa do templo mais próximo ficar até  meio mundo de distância deles.

Quando ficaram sabendo de templo que seria construído apenas 1.500 milhas de distância deles, na Nova Zelândia, uma ilha a leste da Austrália, a família decidiu guardar o seu dinheiro com o proposito de ir à  Nova Zelândia de vôo para assistir à dedicação. Cada membro da família, os pais e quatro filhos, fez biscates e sacrificou tudo o que podia para ganhar o dinheiro. O maior sacrifício que eles tinham que fazer foi de deixar a sua orta de maçã, que era a sua principal fonte de renda, porque a dedicação do templo aconteceria durante a estação da colheita. Eles puseram a fé no Senhor que os maçãs prestariam quando chegassem em casa da viagem à Nova Zelândia.

Quando chegou a hora da dedicação do templo, a família Bender podia assistir à dedicação e ser selada. Os sacrifícios que fizeram, e as experiências que passavam no templo, permitiram que eles aprendessem as verdades do plano de salvação que deu-lhes a força, especialmente quando o pai faleceu três anos depois, com a jovem idade de 43.

O que você sacrifica para ir ao templo? Você dá o seu tempo além de uma agenda lotada? Você tem que tomar uma viagem cara?

Sejam quais forem seus sacrifícios, a freqüência ao templo vai trazê-lo muitas bênçãos, inclusive um aumento de conhecimento, tal como no caso da família Bender.

Leir mais sobre a experiência no templo dos Benders no artigo “O mínimo que eu poderia fazer“.

Fonte: História da Igreja
—Shelisa Baldwin, Mormon Insights

Encontre mais reflexões

Veja fotos do temple de Hamilton, Nova Zelândia.

Traduzido por Grant Smith, Mormon Insights

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.